quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Curse of undead - 1959


Eis aqui um filme que sempre me atraiu por diversas razões Algumas razões de ordem afetiva que remetem à minha infância . A primeira vez que assisti este filme foi numa sessão noturna da TV Itacolomi, la na pequena Paraopeba, e como era de se esperar me impressionou vivamente aquele filme em que o pistoleiro era um vampiro e nunca mais aquelas imagens sairam da cabeça. Os anos se passaram e o nome do filme sumiu na memória, mas não algumas imagens. Já adulto, graças a um amigo cinéfilo, o mistério se desfez e foi revelado o nome do filme : “The curse of undead “. Um legítimo filme B e provavelmente a raiz do meu fascínio pelo universo do filme B. Uma viagem de férias a Nova York quatorze anos atrás me permitiu adquirir um VHs do filme. A busca por ele exigiu caminhadas pelas ruas do Village , entrando e saindo de pequenas lojas de filmes, ate que numa da Bleecker Street pude enfim reencontrar essa autêntica madeleine da minha infância. Já agora nos tempos digitais descobri com pesar que não este filme permance inédito no formato DVD . Com algum dose de persistência pude encontrá-lo para download num site de compartilhamento e pela terceira vez reencontrei esta pequena jóia do filme B. Estamos aqui diante de um dos filmes mais singulares desse universo tão particular pois trata-se de uma mistura de dois gêneros aparentemente opostos: o western e o filme de terror. Edward Dein, o diretor e também roteirista do filme, juntamente com a esposa, obviamente não tinha muito recuros para realizar o filme e teve que apostar num bom elenco encabeçados por Eric Fleming, no papel de Dan, e Michael Pate , no papel de Drake , o pistoleiro vampiro. Diga-se de passagem que Pate, oriundo da Austrália foi um renomado crítico teatral e e depois foi produtor cinematográfico e diretor de filmes, sendo inclusive responsável pela estréia no cinema do astro Mel Gibson. Além do bom elenco o recurso foi enfatizar o clima fantasmagórico com efeitos sonoros feitos por um teremin e a explorar o cenário desolado de uma cidade quase fantasma, onde praticamente não se vê nenhum ser vivo. A trama é relativamente simples: um estranho e soturno pistoleiro chega à cidade e é contratado pela mocinha Dolores, para cuidar do rancho. O namorado, Dan, que é tambem pastor da cidade, logo começa a perceber que há algo estranho com o pistoleiro e tenta dissuadir a namorada da idéia de mante-lo no rancho. O conflito é inevitável e leva ao inusitado duelo final entre um pastor e um pistoleiro, que se revela um vampiro. Sem dúvida um dos faroestes mais bizarros da história. Ainda ontem num encontro com amigos estavamos recordando alguns westerns com duelos bizarros e citamos este filme como digno de figurar numa hipotética lista dos dez mais do faroeste no quesito estranheza. Lembrando ainda que outra pérola B seria feita depois quase nos mesmos moldes : “Billy the Kid contra Drácula “, com John Carradine no elenco e que praticamente emulou a estrutura narravativa do filme de Edward Dein, com resultados inferiores, mas igualmente curiosos .

Um comentário:

Series disse...

Eu tenho esse filme legendado.
O filme é muito bom!